Comercial (11) 2577-7899

Gestores e membros de equipe devem dedicar uma parcela do tempo para pensar em como evitar e tratar situações difíceis ou desafiadoras que podem vir a ocorrer através do exercício da análise de riscos. Esta é uma prática realizada para antecipar situações que, se ocorrerem, nos preparam para atuarmos com maior eficácia e assim minimizar possíveis impactos negativos no andamento do projeto ou operação.

Uma implementação básica para gerenciar riscos deve possuir as seguintes etapas e atividades. Veja abaixo as etapas macro:

  1. Identificar e Quantificar Riscos
  2. Elaborar plano de Resposta aos Riscos
  3. Monitorar Riscos

No mapa abaixo detalho as atividades das etapas básicas para o gerenciamento de riscos:

Etapas e Atividades para Controlar Riscos

A fase de identificação de riscos é um exercício único para cada projeto ou operação, isso ocorre devido às particularidades de cada empreitada, contudo, é possível reutilizar riscoslevantados em outros projetos ou operações de naturezas similares. Alguns riscos são recorrentes e podem ser recuperados de uma lista prévia de riscos mantida em uma base histórica de projetos, acelerando a etapa inicial de identificação de riscos.

Vejamos alguns exemplos de riscos recorrentes em projetos de software:

Exemplos de riscos reutilizáveis que podem afetar o custo do projeto:

  • Corte no orçamento do projeto devido a crise econômica
  • Flutuações de câmbio
  • Cancelamento/Suspensão do projeto

Exemplos de riscos reutilizáveis que podem afetar a comunicação no projeto:

  • Frágil plano de comunicação
  • Responsabilidades da equipe de projeto não delineadas
  • Falta de priorização das necessidades/características do produto

Exemplos de riscos reutilizáveis que podem afetar a qualidade dos produtos do projeto:

  • Defeitos no software (bugs) podem não ser detectados até a sua implementação
  • Qualidade dos produtos/subprodutos não atingem expectativa do cliente

Alerto que os riscos que estamos contemplando são eminentes em projetos de software, mas alguns deles podem ocorrer e afetar qualquer tipo de projeto, por exemplo: – Flutuação do câmbio,  – Frágil plano de comunicação ou – Cancelamento/Suspensão do projeto.

Diante do que foi apresentado, aproveito então para compartilhar uma lista com 50 riscos reutilizáveis que podem ser “pinçados”, adaptados e desenvolvidos conforme as atividades do processo de gestão de riscos do seu projeto. A lista pode ser utilizada como “entrada” na 1º etapa do processo “Identificar Priorizar e Quantificar” na atividade 1.1 “brainstorming” de riscos. No mapa acima eu destaquei o local para “pinçar” os riscos que você desejaria monitorar em seu projeto.

Ah! Lembro que a lista pode e deve ser melhorada! Melhoria contínua é um dos meus ideais.

É sempre bom ter em mente que ao tratar riscos com a devida atenção, pequenos ou grandes problemas podem ser minimizados ou até evitados. Para aprofundar o estudo sobre ogerenciamento de riscos eu sugiro a leitura do capítulo 11 do Guia para Gerenciamento de Projetos, o PMBOK 5. O prestigiado guia expõe com riqueza de detalhes as etapas do gerenciamento de riscos.

Abaixo segue a lista de riscos reutilizáveis agrupados por categoria.

50 Riscos Reutilizáveis

Matéria completa: http://www.profissionaisti.com.br/2016/04/projetos-em-ti-50-riscos-reutilizaveis/

Compartilhar está publicação