Comercial (11) 2577-7899

Colaboradores experientes ou de áreas muito requisitadas passaram a ser demandados por startups e empresas de tecnologia fora do Brasil

Transformação digital, anywhere office e expansão do setor são apenas alguns dos motivos que explicam o aumento da procura de companhias estrangeiras por profissionais de TI brasileiros nos últimos meses. A baixa oferta de profissionais do setor, que atinge em nível elevado a Europa e os Estados Unidos, tem feito com que as multinacionais olhassem para o Brasil como mercado promissor, promovendo uma verdadeira caça aos talentos.

Esse movimento pode ser creditado ao aumento de startups e unicórnios nacionais, aliado à desvalorização do real frente a outras moedas. Colaboradores mais experientes ou que atuam em áreas muito requisitadas como engenharia de software, de produtos ou dados, principalmente que dominam o inglês, passaram a ser demandados por startups e empresas de tecnologia estrangeiras, que aproveitam o cenário econômico para ter bons funcionários com um custo mais baixo.

Para o profissional brasileiro acaba sendo uma oportunidade vantajosa para aumentar os ganhos, já que a remuneração em moeda estrangeira chega a ser de duas a trezes vezes maior do que é pago em real. Além disso, a experiência de se relacionar com uma cultura diferente sem sair de casa, a flexibilidade do trabalho e a possibilidade de se tornar um expatriado acabam atraindo o interesse dos candidatos.

O idioma é uma barreira ainda a ser superada nesse processo de busca por profissionais. Porém, algumas empresas estão apostando na contratação de líderes técnicos com fluência em um segundo idioma, o que facilitaria a comunicação com uma equipe que não necessariamente tenha o mesmo domínio da língua estrangeira, ampliando as possibilidades de contratação daqueles profissionais que não contam com o conhecimento em outro idioma.

Sendo assim, as empresas brasileiras estão ‘partindo pra cima’ (adotando estratégias) para reter seus talentos, inclusive adotando (atuando com) faixas de remuneração mais agressivas. Outro caminho que estão seguindo para não sofrer com um apagão na área de TI é buscar profissionais em outros mercados. (Além disto, a busca por profissionais em regiões do Brasil fora das grandes metrópoles tem se tornado uma estratégia assertiva, mas com prazo contado devido à alta demanda destes profissionais). A busca por profissionais em toda a América Latina também se tornou uma estratégia viável, visto à semelhança dos idiomas e valor do real x às moedas dos países vizinhos.

Cargos como Desenvolvedores Mobile, Engenheiros de Software, Product Managers, Engenheiro de Dados e Cientistas de Dados são considerados hoje, os perfis mais demandados do mercado. Podemos prever que em pouco tempo, soframos também com a falta das lideranças das áreas citadas e que esta busca se expanda também para os profissionais que lideram as estruturas, como CTOs, Gerentes de Engenharia de Software e Gerentes de Data.

A globalização da mão de obra na tecnologia deixou de ser um benefício a mais e passou a ser uma necessidade básica para as companhias entrarem na competição do mercado mundial. Ainda que considerada desafiadora, a estratégia de abrangência global de busca por profissionais se torna viável e assertiva a curto prazo porém, exige-se que à médio prazo, as empresas

sejam parceiras no processo de formação de profissionais em cargos de entrada para não correr o risco de ter falta de mão de obra e conseguir desenvolver um mercado mais sustentável.

Qualificação profissional é a saída para a empregabilidade!

* Luana Castro é gerente sênior da Michael Page

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião da IT Mídia

Fonte: https://itforum.com.br/coluna/empresas-estrangeiras-buscam-profissionais-brasileiros-de-ti/

Compartilhar está publicação